Publicado por: pongpesca | 2010/01/15

Lotas algarvias venderam menos peixe no ano passado

Foto

Polvo de Santa Luzia
 

“As lotas algarvias viram, em 2009, baixar o volume de pescado transaccionado, com Santa Luzia (Tavira) a registar diminuições na ordem dos 50 por cento, indicam as mais recentes estatísticas da Docapesca.

O cenário descendente foi acompanhado pelo volume de negócios, com a maioria das lotas regionais a registar quebras e a ver o preço médio do quilo de pescado a diminuir nos primeiros onze meses do ano passado.

Em ano de crise, só Vila Real de Santo António escapou à tendência negativa.

Especializada no comércio de mariscos e beneficiando da proximidade com Espanha, a lota da cidade pombalina mostrou que os produtos de luxo podem fazer face aos cenários mais pessimistas, subindo em 34 por cento no volume de pescado, por comparação a 2008.

Também em Vila Real, registou-se, em 2009, uma tímida subida de 2,5 por cento no valor dos produtos descarregados, o que ainda assim não foi suficiente para travar a quebra que o preço médio por quilo de pescado sofreu nesta lota do Sotavento, agora situado nos 7,58 euros/quilo.

Mesmo assim, e devido às características dos produtos ali transaccionados, a lota vilarrealense conseguiu fechar os 11 primeiros meses do ano a liderar o ranking nacional em termos de preço médio por quilo de pescado vendido. Neste campo, Olhão não foi além de um euro/quilo.

Bem distante desta realidade está Tavira, onde a lota da cidade registou quebras de 16,8 por cento no volume e valor de peixe vendido. O cenário mais grave de todo o Algarve – e mesmo de todas as lotas nacionais – deu-se em Santa Luzia, com as quebras no volume e valor de pescado a atingirem os 50 e os 62 por cento, respectivamente.

Citado pelo jornal «Correio da Manhã», Leonardo Diogo, da Associação de Armadores e Pescadores do concelho de Tavira, explicou que o ano de 2009 «foi muito fraco» em termos de polvo, espécie que costuma ser o principal produto transaccionado em Santa Luzia, terra conhecida como a «capital do polvo».

Apesar de terem registado reduções, Lagos e Sagres foram, em termos regionais, as lotas que melhor souberam reagir ao cenário negativo, com as quebras no volume de peixe a não ultrapassarem os quatro por cento.

Na globalidade, as lotas algarvias transaccionaram nos primeiros onze meses de 2009 mais de 22 mil toneladas de peixe, o que correspondeu a um volume de negócios na ordem dos 48 milhões de euros.

A pesca regional em números

8 lotas
22 mil toneladas de pescado
48 milhões de euros transaccionados”

Fonte: Barlavento online – Filipe Antunes – 14 de Janeiro de 2010


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: